Ha Eretz News

Saudações, shalom!

Mais uma vez, após uma longa temporada sem posts, resolvi fazer um novo post.

Por aqui as coisas continuam bem. Logo após o feriadão do Shavuot, recomeçamos as funções com a banda e não obstante continuo com as aulas de guitarra aos sábados com o prof. Michael. Até o presente momento estou na parte de escalas, mas em breve (3 semanas) pretendo já estar fazendo alguma improvisação enquanto ele faz a base...

Também recebi o convide de jantar com o casal Conras e Carol, que prepararam um xis. Ao que parece, a Carol descobriu a receita de algum molho especial extremamente saboroso e viciante.

No mais, também tivemos que contribuir com o Happy Hour da empresa - resolvemos trazer iguarias que se come no Brasil, entre elas: Chimarrão, Pão de Queijo (preparado pela exma. Renata, esposa do Schwab) e torta de bolacha (também preparado pela Renata). Valeu a pena ver os Israelenses experimentando o chimarrão e comendo o pão de queijo (eles já estavam comentando do cheiro à kms de distância).

Não tive a oportunidade de exibir, mas este é um adorno fornecido pela família Martins (Diego) que está no clube:
Só para não esquecer do nosso Eretz...

No mais, recebi uma notícia hoje que, honestamente, me causou um certo repúdio. Já é de conhecimento público que a mídia brasileira é extremamente sensacionalista. O objetivo é vender o jornal ou prender o telespectador à TV e eles fazem isto muitas vezes reformulando as palavras o que pode vir a trocar totalmente o sentido da história.
Não quero assumir um papel de protetor de Israel, só quero ser justo.

Esta foi a reportagem:


Bem, primeiramente vamos nos ater à alguns fatos:
1) Há quase 3 anos existe um bloqueio da Faixa de Gaza pelo mar - ninguém entra, nem mesmo "ajudas humanitárias", pelo mar na faixa de Gaza. Para isto, existe um porto ali perto que recebe tais mercadorias e envia para Gaza - esta é a regra e a regra é clara, todos por aqui sabem disto;
2) Já aconteceu de autoridades Israelenses pararem e apreenderem a mercadoria de um caminhão que tinha saído da Cisjordânia com "açúcar" para levar até a Faixa de Gaza. Tudo bem, transportando mantimentos para uma região abalada por terroristas, uma atitude muito nobre, pois quando vão ver a mercadoria era, na verdade, fertilizante químico, um fertilizante específico que eles usam para fabricar bombas caseiras (e obviamente, matar pessoas);

Então, não é de hoje que Israel tem essa "paranóia". Qualquer país que estivesse em situação eminente de guerra pensaria de maneira extremamente ordeira e reta.

Foi o que aconteceu... um belo dia uma frota aparece no mar mediterrâneo em direção à faixa de gaza. As tropas Israelenses que fazem a guarda marítima ordenam que eles desviem para o porto Israelense mais próximo, no entanto, eles seguem tentando furar o bloqueio...
O que tem naquele navio? Remédios? Comida? Roupas? Ou armas e bombas para o Hamas?
Ninguém sabe... mas seja como for, à essas alturas, o navio só não foi sumariamente afundado por detalhe.
Israel manda cerca de 10 comandos para um navio, com permissão para atirar, se precio, que descem de helicóptero... eles se sentem intimidados com a presença de 500 turcos (neste momento não sei dizer como começou o conflito) - seja como for, neste momento iniciou o combate...

Foi o que bastou para a mídia se lavar com a história e encher a internet com a versão que mais agradaria a maioria.

O que se vê do lado de fora, não é o mesmo que se vê do lado de dentro. Seja como for, torço por um acordo diplomático e sensatez por parte dos representantes da Turquia.

Um forte abraço e uma ótima semana para todos!

1 comentários:

Darly Vieira 2 de junho de 2010 07:35  

Saudações, Shalom, filho!
E o pão de queijo ainda é dos que a Nathana levou?
Abraços a todos vocês.
Te amo muito, meu filho.

Postar um comentário

Obrigado pela colaboração!

Sobre este Blog

Este blog é redigido por Avatar, trata sobre tecnologia, notícias e novidades.